O impacto positivo da convivência com os netos na saúde dos avós

Um estudo conduzido pela Universidade Johannes Gutenberg, na Alemanha, trouxe à luz o impacto positivo de ser avô ou avó na saúde mental e física das pessoas. A pesquisa analisou dados de 14.810 indivíduos entre 50 e 80 anos, um terço dos quais se tornaram avós, revelando resultados promissores.

Os pesquisadores destacaram que a interação com os netos proporciona um novo significado à vida dos avós, além de maior interação social. Essa descoberta foi reforçada pelos resultados do estudo, que mostraram benefícios tanto para a saúde mental quanto para a física dos avós.

Um dos pontos de destaque do estudo foi a melhora significativa nos testes de memória entre as avós. Mulheres que mantinham uma proximidade regular com seus filhos apresentaram resultados ainda melhores ao iniciar o convívio com seus netos. Além disso, houve uma redução de aproximadamente 3% na probabilidade de apresentarem sintomas de depressão. Entre os homens, porém, não foi percebida uma mudança significativa após se tornarem avôs.

 

Independência e capacidade física

Outro aspecto positivo observado foi a contribuição da convivência com os netos para a manutenção da independência e da atividade física. Tanto homens quanto mulheres relataram uma melhora na capacidade de realizar atividades cotidianas cruciais para uma vida independente, como cozinhar, limpar e vestir-se. Além disso, o convívio com os netos estimulou os avós a se manterem mais ativos, contribuindo para a redução de problemas de mobilidade.

Entretanto, o estudo também destacou que, quando a responsabilidade de cuidar dos netos recai inteiramente sobre as avós, pode haver impactos negativos em seu bem-estar. Cerca de 12% das mulheres que cuidavam dos netos diariamente, sem auxílio dos pais, relataram um declínio em sua qualidade de vida.

 

Presença dos avós brasileiros

Enquanto isso, no Brasil, um estudo recente da Play Pesquisa revelou que os avós estão desempenhando um papel cada vez mais significativo na vida dos netos. Com dados coletados de quase 800 participantes de diversas classes sociais em todo o país, o estudo destaca a integração crescente dos avós na vida cotidiana das famílias brasileiras.

Os avós brasileiros estão não só mais presentes, mas também mais envolvidos nas atividades diárias dos netos. Cerca de 58% deles ajudam ativamente nas tarefas cotidianas, enquanto 66% frequentemente brincam e entretêm os netos, consolidando seu papel como fontes de alegria e estabilidade emocional na família.

Além disso, os avós brasileiros estão demonstrando uma notável adaptação às novas tecnologias, com 90% deles equipados com smartphones e ativos nas redes sociais. Essa adaptabilidade reflete um desejo de se manterem conectados e envolvidos na vida moderna de seus netos

Compartilhe

NEWSLETTER

Se inscreva e fique informado

plugins premium WordPress