Pandemia causa retrocesso na expectativa de vida, aponta OMS

A pandemia de Covid-19 teve um impacto devastador na saúde global, revertendo anos de progresso na expectativa de vida e na expectativa de vida saudável ao nascer (HALE, na sigla em inglês), de acordo com o relatório Estatísticas de Saúde Mundial 2024, da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O documento, divulgado no dia 24 de maio, aponta que entre 2019 e 2021, a expectativa de vida global caiu 1,8 ano, para 71,4 anos, voltando ao patamar de 2012. Já a expectativa de vida saudável diminuiu 1,5 ano, chegando a 61,9 anos em 2021, também retrocedendo a níveis de uma década atrás.

Embora os dados mostrem uma recuperação da expectativa de vida ao nascer aos níveis pré-pandêmicos em 2023, os impactos da Covid-19 ainda são sentidos, especialmente em países de renda baixa e média-baixa. As populações nesses locais continuam a ter esperanças de vida menores e menos anos vividos com boa saúde do que em países de renda alta e média-alta.

 

Fatores que influenciam a expectativa de vida

O relatório da OMS destaca que a expectativa de vida ao nascer é influenciada por diversos fatores, incluindo:

  • Condições de saúde: Acesso a cuidados médicos de qualidade e avanços na medicina são cruciais para aumentar a longevidade.
  • Saneamento básico: Água potável e saneamento adequado reduzem doenças infecciosas e aumentam a expectativa de vida.
  • Segurança: Áreas com menos violência e acidentes tendem a ter maior expectativa de vida.
  • Nível de educação: Populações com maior nível educacional geralmente têm melhores hábitos de saúde e maior acesso a informações.
  • Renda: Renda mais alta geralmente está associada a melhores condições de vida e maior acesso a serviços de saúde e de cuidado.

Crise climática: um novo desafio

Além dos impactos da pandemia, o relatório da OMS destaca a urgência de se combater as mudanças climáticas, que representam um novo desafio à saúde global. Desastres naturais já impactam negativamente a expectativa de vida e a HALE, exigindo ações imediatas para garantir a qualidade de vida ecológica e a estabilidade do clima.

 

Desafios e perspectivas

O documento Estatísticas de Saúde Mundial 2024 aponta para a necessidade de um esforço global para recuperar os anos perdidos na expectativa de vida e na HALE, além de garantir que todos tenham acesso a uma vida longa e saudável. “Investir em educação, melhorar o acesso a serviços de saúde de qualidade, promover estilos de vida saudáveis e combater as desigualdades são medidas essenciais para alcançar esse objetivo”, aponta o relatório.

Compartilhe

NEWSLETTER

Se inscreva e fique informado

plugins premium WordPress